Buscar
  • Ramiro Rosário

DMLU recebe floreiras confeccionadas por apenados


Floreiras feitas de pallets e confeccionadas por apenados foram entregues ao Departamento Municipal de Limpeza Urbana, na manhã desta quarta-feira, 19. Foram 28 caixotes, que formam sete floreiras triplas e sete individuais. Os materiais serão utilizados no projeto Plantio Urbano Sustentável do departamento, e instalados onde existem focos de descarte irregular de resíduos na cidade de Porto Alegre. A ação faz parte do protocolo de intenções assinado nesta quarta, na Penitenciária Estadual de Porto Alegre (Pepoa), pelo DMLU e a Secretaria de Administração Penitenciária (Seapen)/Superintendência de Serviços Penitenciários (Susepe).

A parceria iniciou há alguns meses com a instalação de uma horta na penitenciária, dentro do projeto Estação Integrada de Compostagem, desenvolvida pela Equipe de Gestão e Educação Ambiental (Egea) do DMLU, sob a coordenação da engenheira Patrícia Russo. O departamento também doou duas cargas de pallets para a confecção das floreiras. Um grupo de dez apenados em regime fechado, o que é inédito para os presos dessa modalidade, participou do processo de confecção dos utensílios e dois deles fizeram a montagem final. Com isso, eles garantem uma redução de pena, sendo que a cada três dias de trabalho é reduzido um dia na penitenciária. A participação dos presos em trabalhos como este faz parte das atividades do projeto Desenvolvendo Capacidades e Humanidades, da autoria da assistente social Rosane Lazzarotto, da Penitenciária Estadual de Porto Alegre (Pepoa).

Esta parceria se configura em uma iniciativa inovadora para a cidade, pois alinha a necessidade operacional para atender a demanda dos Plantios Urbanos com a atividade laboral e social desenvolvidas por apenados. “O DMLU já tem experiência em utilizar o sistema prisional, colaboração que é fundamental para a saúde pública, pois aproveita materiais que iriam para o aterro na revitalização de espaços, hoje, alvos de descarte irregular e focos de lixo”, afirma o diretor-geral do DMLU, Renê Machado de Souza. "Minha profissão é marceneiro. Trabalhei 15 anos nesse tipo de serviço. Eu acho que este trabalho que fiz vai ajudar a sociedade porque é uma oportunidade que estamos recebendo. Mesmo estando aqui dentro, podemos fazer algo para melhorar a cidade lá fora’’, ressalta o apenado Lucas, 35 anos.

A formalização dessa cooperação entre Estado e Município busca promover oportunidades de trabalho e renda para os apenados, dentro dos programas de ressocialização pela secretaria, para desenvolver o tratamento penal. "Estamos plantando uma semente aqui. Essa ação faz parte de um programa maior, de expansão de um trabalho prisional e geração de emprego e renda. Estamos estreitando os laços para oportunizar mais trabalhos de vivência e de embelezamento da cidade. A partir deste piloto, buscaremos expandir as parcerias para termos mais programas de empregabilidade”, destaca o secretário da Administração Penitenciária do RS, César Faccioli.

Também participaram do ato o diretor-adjunto do DMLU, Omar Ferri; o diretor do Departamento de Segurança e Execução Penal, Cristiano Fortes; e o diretor da Pepoa, Leonardo Peixoto. O DMLU integra as secretarias municipais de Serviços Urbanos (SMSUrb) e do Meio Ambiente e da Sustentabilidade (Smams).

Fonte: Site da Prefeitura de Porto Alegre

Foto: Tassiane Costeira/SMSUrb PMPA Texto de: Tassiane Costeira com supervisão de Adriana Machado

#DMLU

2 visualizações
Logo-Ramiro.png

© 2017

  • Facebook - círculo cinza
  • Twitter - círculo cinza
  • YouTube - círculo cinza
  • Instagram - Cinza Círculo