Reaproveitamento de capina economiza e beneficia meio ambiente


O reaproveitamento da produção do serviço de capina e roçada nas vias públicas e nas praças executado no mês de abril ocasionou a economia de cerca de R$ 119.000,00 para a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (SURB). O valor seria gasto pelo Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU) para o transporte e a destinação desses resíduos no aterro sanitário de Minas de Leão.

Em vez disso, as 1.020 toneladas de sobras recolhidas na capina de ruas e as 169 toneladas da roçada de praças foram enviadas para a Unidade de Triagem e Compostagem (UTC) do DMLU. No local, situado na Lomba do Pinheiro, é feito o reaproveitamento de resíduos orgânicos, gerando o composto orgânico. O produto, que serve para melhorar a qualidade do solo de jardins e hortas, é comercializado, e a renda é destinada para os profissionais da Associação de Triagem de Resíduos Sólidos Domiciliares, que trabalham na UTC.

"Simplesmente paramos de colocar dinheiro no lixo. Deixamos de encaminhar o mato cortado na cidade para o aterro sanitário e passamos a utilizá-lo na compostagem. Esta mudança parece singela, mas representa uma grande economia aos cofres públicos. É com este tipo de gestão que contribuiremos para combater a grave crise financeira que assola Porto Alegre”, afirmou o secretário Ramiro Rosário, da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos.

“Essa mudança operacional trouxe benefícios ambientais, econômicos e sociais, pois deixamos de aterrar os resíduos, reduzimos os gastos do departamento e, ao mesmo tempo, viabilizamos as condições para um incremento financeiro aos trabalhadores da associação”, ressaltou o diretor-geral do DMLU, Álvaro de Azevedo.