Podas de árvores

191015_CR_1400_SMSURB-063a.jpg

"Eu gosto de árvore. O que eu não gosto é de árvore morta e que oferece risco aos porto-alegrenses. Aumentamos em 4 vezes as podas e supressões de vegetais na cidade e faria tudo de novo!"

Os serviços de podas e supressões migraram para a Secretaria de Serviços Urbanos em 2017 e, sob a gestão de Ramiro, foram quadruplicados em 3 anos. Estima-se que até o início de 2017, Porto Alegre realizava 500 intervenções mensais com 7 equipes de servidores da própria prefeitura. Na gestão de Ramiro, foram implementados novos contratos com empresas terceirizadas e com remuneração por produtividade. O número de intervenções quadruplicou e as podas e supressões chegaram à média mensal de 2.000 intervenções. Além disso, a gestão de Ramiro implementou o serviço regular inédito na cidade de destocamento de troncos e raízes.
Alguns setores políticos e ambientalistas de Porto Alegre criticaram a política de podas e supressões de árvores adotada por Ramiro na secretaria. Acusaram o ex-secretário de promover o "arboricídio" na cidade. Todos nos orgulhamos de viver numa cidade arborizada, mas as árvores também adoecem e morrem. Quando o vegetal oferece risco à vida ou ao patrimônio dos porto-alegrenses, ele deve ser removido. 
Ramiro também contribuiu para o início de um serviço inédito que passou a ser realizado pela Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade: um contrato permanente de plantio de árvores. Mais de 4.000 mudas de árvores estão sendo plantadas em bairros pouco arborizados, como o Humaitá e Navegantes.