Combate a alagamentos

200428_Rafaela Redin_SMSURB_PMPA-01_0.jp

"Nós tiramos o DEP das páginas policiais e colocamos nas manchetes de boa gestão."

Quando Ramiro Rosário assumiu a gestão da Secretaria de Serviços Urbanos e incorporou as funções do antigo DEP (Departamento de Esgotos Pluviais), as casas de bombas para combater alagamentos em Porto Alegre funcionavam com apenas 40% da capacidade. Ramiro dobrou este índice para 86% com novos serviços de manutenção elétrica e mecânica. Com isso, os alagamentos em muitas regiões diminuíram. 
Com a incorporação definitiva promovida sob a liderança de Ramiro dos serviços do antigo DEP ao DMAE, garantiu-se a aplicação de 100% da tarifa de redes mistas na efetiva manutenção do sistema de drenagem da cidade – cerca de R$ 50 milhões por ano. Antes, este recurso era repassado para o caixa único da prefeitura e servia para pagar outras despesas correntes, como a folha de servidores. Esta mudança oportunizou uma ampla melhoria na manutenção das casas de bombas, reconstruções de redes de drenagem e serviços de limpeza de redes e bocas de lobo.
 
Além das reformas administrativas e melhorias em contratos, a gestão de Ramiro na secretaria foi marcada pelo combate à corrupção, especialmente em serviços do antigo DEP. Diversos contratos foram rescindidos e mais de R$ 2 milhões em multas foram aplicadas a maus prestadores de serviços. Três empresas foram declaradas inidôneas por Ramiro, ou seja, estão proibidas de contratar com o poder público em todo o Brasil.
 
Em 2015, na época dos escândalos de corrupção denunciados pela jornalista Adriana Irion, havia mais de 25 mil serviços do extinto DEP pendentes de atendimento em Porto Alegre. No final de 2020, após as melhorias da gestão implementada por Ramiro sobre estes serviços, a média mensal de protocolos pendentes é de apenas 300.
O sistema de proteção contra cheias do Guaíba também passou por melhorias na gestão do Ramiro. Doze dos quatorze portões que compõem o sistema de comportas passaram por reparos. As intervenções contemplam pintura, lixação, lubrificação, limpeza do entorno, construção de contrapiso e reforma dos trilhos, entre outros trabalhos. Este serviço foi inédito neste formato e corrigiu falhas que poderiam acarretar em inundação de Porto Alegre em caso de cheia extrema do Guaíba.
 
Ramiro acompanhou de perto, igualmente, as obras conduzidas pela Secretaria de Infraestrutura no combate a alagamentos com financiamento da Caixa Econômica Federal. O maior conjunto de obras de macrodrenagem da história de Porto Alegre iniciou na gestão do prefeito Marchezan e beneficiará 14 bairros da bacia do Arroio Areia, especialmente a região de planície das avenidas Sertório e Assis Brasil. A participação de Ramiro foi fundamental neste processo, auxiliando na tomada de decisões e também no contato com a comunidade de bairros como o Santa Maria Goretti.