Ramiro promove reunião integrada de segurança no bairro Floresta

Encontro inédito da comunidade com os órgãos de segurança foi realizada na sede da Associação Cristóvão Colombo (ACC)

Os moradores do bairro Floresta tiveram a oportunidade de estar reunidos com a Brigada Militar, a Polícia Civil e a Secretaria Municipal de Segurança na noite de terça-feira, 12 de abril. A primeira reunião da comunidade com os órgãos de segurança foi promovida pelo vereador Ramiro Rosário (PSDB), na sede da Associação Cristóvão Colombo (ACC), e reunião mais de 70 pessoas. “Depois do coronavírus, estamos vivendo uma nova epidemia em Porto Alegre. A epidemia dos pequenos furtos, roubo de fios, cadeados, ar-condicionado, invasão de casas e apartamentos”, observou o vereador. Ramiro fez um apelo para que as abordagens da BM sejam diferenciadas e que a PC faça uma investigação efetiva em relação aos receptadores de materiais furtados na Capital. “A Prefeitura também precisa fazer a sua parte, começando pelo básico, ações de demolição dos puxadinhos. É ali que está boa parte dos receptadores”, disse. “Ainda é preciso haver a proibição imediata de triagem na rua. O lixaredo toma conta da entrada e saída da nossa cidade. É inacreditável que esse tipo de coisa ainda aconteça”, reclamou.

A presidente da ACC, Dirce Gomes, agradeceu a ampla participação da comunidade e reiterou que a ideia é trabalhar em conjunto para melhorar a segurança na região. O presidente da Associação dos Moradores e Amigos do Bairro Auxiliadora, João Volino, apresentou um equipamento com câmeras que está sendo utilizado para realizar vigilância colaborativa com os órgãos de segurança. Ele propôs ampliar a instalação dessas câmeras para monitoramento do bairro e de outras áreas da cidade.


O delegado Daniel Ordahi, titular da 17ª Delegacia de Polícia, disse que o grande problema é o furto de fios e cabos. Segundo ele, os ferros velhos continuam operando com a conivência da Prefeitura. também citou a dificuldade em manter os delinquentes presos, devido à falhas na legislação penal, lotação de presídios, entre outras problemas. O Comandante do 9º BM, tenente-coronel Ivens Giuliano, concordou que o afrouxamento da legislação penal é responsável pela presença na rua de muitos marginais. Ele aposta no trabalho da Brigada, com o apoio de câmeras de videomonitoramento e colaboração da comunidade.

O secretário-adjunto da Segurança, Gelson Luiz Guarda, disse que a Prefeitura vai ampliar a ação da Guarda Municipal junto aos receptadores, sempre com apoio da BM e da PC. “Vamos fazer mais abordagens aos carrilheiros”, prometeu.

22 visualizações0 comentário