Ramiro é contra feriado excepcional dia 26 de março em Porto Alegre

Proposta busca homenagear os 250 anos da Capital. Para Ramiro, "projeto traz impactos negativos para o comércio da Capital, que ainda se recupera dos efeitos nefastos da pandemia do coronavírus".


O vereador Ramiro Rosário (PSDB) é contra o PLL 608/2021, que torna feriado o dia 26 de março deste ano. A justificativa do autor da proposta, vereador Airto Ferronato (PSB), é que o feriado excepcional, válido somente em 2022, seria uma homenagem aos 250 anos de Porto Alegre. “Sou contra o projeto porque, apesar de bem intencionado, ele traz impactos negativos para o comércio da Capital, que ainda se recupera dos efeitos nefastos da pandemia do coronavírus”, argumenta Ramiro. O vereador do PSDB aponta que este feriado, que tramita em regime de urgência e deve ser votado nesta segunda-feira, 14, na Câmara Municipal, traria dificuldade de adequação logística de produtos e carga horária de trabalho aos empreendedores de Porto Alegre. “Pior do que isso: transformaria um dia produtivo em um dia sem faturamento para o comércio. É por isso que somos a favor do trabalho e contra este novo feriado!”, afirma Ramiro. A posição de Ramiro atende ao entendimento do Sindilojas, entidade do comércio varejista de Porto Alegre com mais de 20 mil empresas representadas. Para O Sindilojas, a ocorrência de feriados não programados no calendário atual, sem a devida preparação do setor econômico, seria um desastre econômico e logístico por parte das empresas que não terão tempo suficiente para adequar-se ao novo regramento, seja pela via legal, seja pela conformidade logística da adequação da equipe de trabalho ou de produtos, como perecíveis que podem ser perdidos. “Este projeto vem para romper acordos de convenção coletiva discutidos longa e cuidadosamente durante o ano de 2021 para trabalho em feriados, sendo que um projeto que institui um feriado surpresa, viria para desestruturar estas convenções e acordos coletivos”, diz o comunicado oficial do Sindilojas. O setor varejista ainda sofre com os impactos da COVID-19, seja pelas restrições ainda aplicadas, seja pelo impacto econômico geral que afeta ainda os índices de desempenho, receita e empregabilidade. “O varejo continua ainda em recuperação, assim como tantos outros setores econômicos severamente impactados pela pandemia, como o setor de bares e restaurantes, e por isso a existência de um feriado no dia 26, de restrição de atividades econômicas em Porto Alegre será extremamente danoso ao funcionamento econômico da cidade, com o prejuízo da prestação de serviços a cidade e ao cidadão”, pondera o Sindilojas.


Texto: Orestes de Andrade Jr. (reg. prof. 10.241)

2 visualizações0 comentário