Executivo atende 6 das 7 medidas de auxílio aos empreendedores de Porto Alegre sugeridas por Ramiro

Propostas voltadas aos empreendedores da Capital foram encaminhadas ao prefeito Sebastião Melo via projeto indicativo nº 33/202


Vereador Ramiro Rosário em frente ao Mercado Público de Porto Alegre
Ramiro Rosário: “O balanço é extremamente positivo. Conseguimos auxiliar com ideias o prefeito Melo e sua equipe de secretários com o objetivo de reanimar o setor de eventos e o turismo de negócios em Porto Alegre, bem como auxiliar todos os empreendedores na retomada econômica pós-pandemia.” Foto: Jefferson Bernardes / Agência Preview / Arquivo

Das sete medidas de mitigação dos efeitos econômicos da pandemia do coronavírus sugeridas pelo vereador Ramiro Rosário (PSDB) ao Executivo Municipal, seis delas foram atendidas completamente ou parcialmente e uma só não foi acolhida. As propostas voltadas especialmente aos empreendedores de Porto Alegre foram encaminhadas ao prefeito Sebastião Melo via projeto indicativo nº 33/202, que foi aprovado no dia 3 de maio pela Comissão de Economia, Finanças, Orçamento e do Mercosul (Cefor) da Câmara Municipal de Vereadores. “O balanço é extremamente positivo. Conseguimos auxiliar com ideias o prefeito Melo e sua equipe de secretários com o objetivo de reanimar o setor de eventos e o turismo de negócios em Porto Alegre, bem como auxiliar todos os empreendedores na retomada econômica pós-pandemia”, avaliou Ramiro. O prefeito aceitou e implementou a principal proposta de Ramiro: reduzir o Imposto Sobre Serviços (ISS) para o setor de eventos de 5% para 2%, que representa uma diminuição de 60% no valor do imposto. A medida vale para toda a cadeia produtiva, incluindo as contratações derivadas do setor de eventos, que inclui hotéis, espetáculos musicais, cinemas e outras modalidades de diversão pública. “Vivemos um novo tempo em Porto Alegre, onde agora diminuímos os impostos”, comemorou Ramiro. O Executivo também acolheu a proposta de Ramiro de prorrogar os alvarás de atividades de baixo e médio risco. Na prática, o Executivo dispensou o alvará das empresas de baixo e médio risco, eliminando a necessidade de prorrogação. O vereador ainda pediu a isenção de taxas para feiras e eventos na cidade e a Prefeitura criou um pacote de pacote de medidas para incentivar a sua recuperação econô