Buscar
  • Ramiro Rosário

Porto Alegre testa drones para descontaminar áreas públicas


A tecnologia ajuda Porto Alegre a combater o coronavírus. Por iniciativa conjunta da prefeitura, Pacto Alegre e uma rede de entidades e empresas unidas pela inovação na Capital, foi realizado o primeiro voo teste para experimentar drones na descontaminação de grandes áreas públicas ou de difícil acesso, como arredores de hospitais, ruas, parques e espaços públicos diversos.

O teste durou aproximadamente 60 minutos e foi feito no Parque Harmonia, ao lado do Guaíba, com drone do modelo Pelicano 2020, operado pela empresa SkyDrones. O equipamento subiu carregado de 10 litros de produto desinfetante, especialmente desenvolvido por equipe coordenada pela professora pesquisadora do Instituto de Química da UFRGS, Nadya Pesce da Silveira. Cada voo do drone, com cerca de 15 minutos, cobre uma área estimada em 1 hectare.

O voo-piloto foi planejado com base no protocolo sanitário utilizado pela China em um cenário avançado de contaminação, em que ambientes adquirem alto potencial de transmissão do coronavírus. De acordo com Paulo Ardenghi, diretor de Inovação da Prefeitura de Porto Alegre, o objetivo é que a Capital “esteja preparada para utilizar essa tecnologia caso a cidade venha a registrar o agravamento do surto epidêmico." Entre as vantagens de utilização do equipamento, estão o custo modesto e o baixo risco ao operador, que pilota o drone a distância.

A professora Nadya explica que os estudos para chegar à fórmula do produto utilizado na pulverização se estenderam por uma semana, conduzidos de acordo com a experiência da China. “Precisávamos de um desinfetante de ação rápida e que não emitisse resíduos tóxicos no ar. Então chegamos ao produto que testamos neste voo, com ação estimada de um minuto, alto poder de desinfecção e dispersão segura para o ser humano, animais e meio ambiente”, detalhou. Ela afirmou que o líquido é similar aos desinfetantes domésticos, como a água sanitária, porém, com específica concentração de alguns agentes químicos, garantindo baixo impacto ambiental.

“A inovação é uma aliada de alto nível na resolução dos desafios da cidade, porque nos oferece resposta rápida a necessidades urgentes. O engajamento de mentes empreendedoras é oxigênio nesta nossa batalha, cujo objetivo é vencermos com menos dor e mais vidas salvas”, afirma o prefeito Nelson Marchezan Júnior. O secretário municipal de Serviços Urbanos, Ramiro Rosário, ressalta que a prefeitura já realiza uma força-tarefa para empregar toda sua expertise de zeladoria urbana a serviço do combate ao coronavírus. "Os drones podem vir a ser utilizados no momento em que os técnicos da Secretaria de Saúde nos deem o comando e em que seja preciso atuar com mais rigor na limpeza de superfícies irregulares da área urbana e em espaços abertos como praças, por exemplo", menciona. Ele diz que os próximos testes podem contemplar também outros tipos de insumo químico e outros tipos de tecnologia para pulverização de áreas verdes e até mesmo para renovação do ar em ambientes fechados.

Arsenal tecnológico - A iniciativa foi identificada e viabilizada através de parceria com a CapTable, plataforma de startups que participa do “Start.Health: Startups vs Covid”, projeto liderado pela prefeitura em parceria com o Pacto Alegre, empresas e diversas entidades que compõem o ecossistema de inovação na Capital. O objetivo do programa é identificar empresas com soluções maduras para ajudar no combate imediato ao coronavírus. Startups interessadas em participar e colaborar com ferramentas para auxiliar a cidade no combate ao novo coronavírus podem se inscrever até o dia 31 aqui.

Para mais informações sobre coronavírus, clique aqui.

Fonte: Site da Prefeitura de Porto Alegre

Foto: Jefferson Bernardes/PMPA

Texto de: Vanessa Sampaio

#coronavirus #pandemia

0 visualização
Logo-Ramiro.png

© 2017

  • Facebook - círculo cinza
  • Twitter - círculo cinza
  • YouTube - círculo cinza
  • Instagram - Cinza Círculo