Serviço de limpeza urbana de Porto Alegre é ampliado e traz novidades


O serviço de limpeza urbana de Porto Alegre passa por uma transformação importante para a cidade. O contrato foi ampliado e agora agrega novas tecnologias, controle e fiscalização mais eficientes. As novidades foram apresentadas nesta quarta-feira, 11, na Praça da Alfândega. O novo contrato tem diferenciais como aumento dos quantitativos de varrição, com mais 20 mil quilômetros por mês, pagamento por produtividade, implementação da varrição mecanizada, lavagem de logradouros e monumentos, pintura de meio fio, uso de GPS nos veículos e programação de serviços via smartphones.

A empresa vencedora da licitação para operar o serviço é a Cootravipa. O prefeito Nelson Marchezan Júnior lembrou que, quando assumiu a prefeitura, havia uma dívida com esta empresa, e agora, além de pagar em dia, a prefeitura está conseguindo ampliar o contrato. “Graças às reformas realizadas, podemos pensar melhor na cidade e expandir os serviços. E não apenas para uma parte da população, mas para 1,5 milhão de pessoas que vivem aqui. Este serviço será levado para toda a cidade, assim como a nova iluminação e todas as melhorias previstas para o município”, diz.

O Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU) operava com três contratos para os serviços, que agora estão unificados. O valor é de R$ 46,6 milhões por ano, com validade de 12 meses, renováveis por mais 60. A presidente da empresa, Imanjara de Paula, afirma que a garantia de tempo de contrato deixa os trabalhadores mais tranquilos. “Antes, tínhamos contratos emergenciais por seis meses e não sabíamos como seria o futuro. Agora, podemos fazer planos e investimentos”, diz ela. A previsão é que a Cootravipa destaque cerca de 1.100 profissionais, sendo mais de 600 garis escalados para a varrição, 128 operários para serviços diversos e 112 auxiliares para cuidar dos sanitários públicos.